Vinícola em Orlando entrega bebidas marcantes no nariz, na boca e na memória

0
249

Por Eloá Orazem

Terra de um verão sem fim, a Flórida é rapidamente associada a parques de diversões, brincadeiras ao mar, compras e férias.

Depois de um pouco pensar, outras associações, como festas e esportes, podem aparecer, mas certamente nenhuma delas inclui a produção de vinhos – sobretudo em Orlando, onde a temperatura nunca desaponta quem busca um clima quente e úmido.

Mas como surpreender virou rotina da cidade famosa pelos parques temáticos, adultos também são pegos desprevenidos quando descobrem a Quantum Leap, uma vinícola que tem tudo o que manda o figurino, menos os vinhedos. Em Downtown Orlando.

A Quantum Leap não planta uvas, mas importa uma espécie de suco de uva fermentado (mosto) de países como Itália – principalmente da região de Vêneto – e África do Sul e de algumas regiões dos EUA, como Oregon e Washington State. Ali em Orlando, Forrester e Ramsier encarregam-se de fazer o blend, finalizar, envelhecer e engarrafar o vinho.

Segundo David, um vinho passa por 25 etapas, e ele é o responsável direto por 18 delas, já que compra a bebida com as sete primeiras etapas feitas.

Todo o vinho é importado em grandes contêineres especiais, e tudo ali é pensado para ser o mais ecofriendly possível.

Mesmo as garrafas de vidro são mais leves que as tradicionais, e as embalagens, mais funcionais, para que o impacto do CO2 no transporte seja menor.

Seus principais clientes são restaurantes e bares da Flórida, além dos transeuntes curiosos e os locais apreciadores de um bom vinho, que dedicam algumas horas de seu dia a participar de alguma degustação ou mesmo dividir uma taça com amigos.

A vinícola conta com tanques de aço inox e barris de carvalho para envelhecimento. O lugar também se vale da bela arquitetura para promover eventos sociais, como casamentos e reuniões corporativas – tudo bem ao lado dos barris de madeira.

Festas à parte, é preciso saber dos vinhos: são mais de dez tipos diferentes, mas que entregam boa qualidade e intensidade de aromas.

Entre os brancos, o Pinot Grigio é um dos pedidos e agrada principalmente pela suavidade e frescor, enquanto o Garda – outro nome forte da casa – traz um corte certeiro de uvas brancas italianas. Garganega, Trebbiano, Trebianello e Cortese são os outros escalados para compor a seleção de vinhos brancos da vinícola.

Com opções mais caras e baratas, a garrafa é vendida por aproximadamente 15 dólares.

Entre os tintos, destaque para o Panther´s Tale, que desfila um corte de uvas Merlot e Corvina. É um vinho completo e complexo, no qual a Corvina domina os aromas (é a mesma uva do Amarone di Valpolicella), mas os taninos macios do Merlot enaltecem o conjunto. Outros que não se fazem de rogados são os Chardonnay, Pinot Noir, Cabernet Sauvignon, Merlot de Stellenbosch, na África do Sul, e outro blend tinto de Columbia Valley, do estado de Washington. Todos marcam bem para o que vieram, no nariz e na boca.

Montanha-russa para os sentidos, a Quantum Leap é uma boa alternativa aos parques e shoppings. Quando não substitui, é complemento: é a casa perfeita para o brinde das férias, do começo ao fim.

Revista Facebrasil – Edição 52 – 2015
A revista mais lida pelos brasileiros na Flórida