Destaque na Flórida: goleiro Rafael Siqueira, nosso futebol em promissoras mãos – na revista Facebrasil 92

0
60

Destaque na Flórida: goleiro Rafael Siqueira – nosso futebol em promissoras mãos

Goleiro, keeper, goaling, guarda-metas, mão de pau, porteiro, mão de alface, monstro, salvador, arqueiro, frangueiro… são tantos nomes e apelidos para definir uma das mais importantes posições em um time de futebol, quer seja no futsal, campo ou society (dentre outros esportes), que até me peguei pesquisando

“O guarda-redes, em tempos antigos, também chamado arqueiro ou porteiro, é um atleta presente em alguns desportos coletivos, como futebol, futsal, handebol, hóquei, entre outros. A sua função é evitar o gol do clube adversário. Justamente por ser a sua função diferente da dos demais jogadores, é protegido por regras específicas. O goleiro pode utilizar de qualquer parte do corpo para evitar gols do time adversário. Mas essa permissão (utilizar mãos e braços) é restrita a uma área delimitada em torno da trave.” (Wikipédia)

Com toda essa explicação, podemos dizer que o futebol faz do goleiro o herói ou o vilão, podendo mudar num piscar de olhos. 

Quem acompanha ou assiste aos jogos das ligas competitivas da Flórida, quer sejam jogos estaduais, UPSL, CFSL, ou nacionais como US Cup (Lamar), sabe que temos uma excelente safra de goleiros brasileiros. Dentre tantos bons jogadores, como João, Lucas, Edu, etc… todos do Brasil, mas que residem e jogam em times da Central Florida, destacaremos alguém muito especial: o filho da Andréa e do Eloy, o prodígio Rafael Siqueira. Apaixonado pelo Palmeiras, detentor da camisa 12 e fã do Marcos, ele se tornou uma das maiores promessas do futebol atual. Rafinha é de 2002 e, mesmo tão jovem, tem um currículo de campeonatos que fala por si só. Há quase 3 anos, ele vem defendendo diferentes times em diferentes ligas, inclusive adultas; ganhou notoriedade quando premiado por ser o goleiro brasileiro mais novo disputando ligas dessa importância. 

Carreira notável

No Brasil, Rafael Siqueira teve sua formação no interno do São Paulo,  e ao chegar nos Estados Unidos, surpreendeu o time do Celebration Soccer Stars pela idade e grande disposição, tanto que em pouco tempo já estava disputando as ligas de Celebration. Rafinha brinca que o CSS é uma grande porta de chegada a todos os brasileiros que gostam de jogar bola, que foi extremamente bem recebido ali e tem nele seu coração. Seu segundo time foi o Hunters Creek SC (2016-2017), duas vezes vice-campeão Alliance Cup e campeão da GCF. Ele também jogou no ASC America (2018), campeão da UPSL por duas vezes. Rafa defendeu pela R9 Academy (2018-2019), Disney Cup e GCF, onde foi Campeões da West Coast, e chegou aos playoffs com o Sporting Orlando em 2019. Ele é o atual campeão da Rush Cup 2019 e pelo AC Milan 2019, SDSL, disputou e ganhou o Bazooka Tournament. Ufaaaa… tudo isso só no futebol de campo… No futsal, jogou pela Orange Futsal Academy (2016-2018), e teve seu grande destaque em 2019 quando foi convocado para jogar em Barcelona, sagrando-se campeão. Ele foi premiado dentre os 12 melhores jogadores de futsal brasileiros e ainda como o goleiro menos vazado da competição. Rafael recusou a proposta de jogar na França, por entender que será aqui na América, onde traçará seu futuro.

Toda essa dedicação só é possível por ter com ele, em apoio incondicional, sua mãe Andréa, sua maior encorajadora. É uma relação muito bacana de se ver, Andréa ri, chora, grita e torce o jogo todo, parece até que ela se projeta para dentro do gramado. É realmente marcante a relação mãe, filho e o futebol. Rafinha é também, um “especialista” em pegar pênaltis, porém, na minha opinião, além de ser um garoto do bem, ele possui um comprometimento brilhante, um caráter reto e um bom senso diferenciado para a idade. Como sempre digo: esse garoto merece nossa atenção, carinho e aplauso. É mais um DNA verde e amarelo que nos enche de orgulho.

“Feliz do homem que aplaude os bons feitos de sua linhagem”.