O valor da cachaça

0
214

Junte-se a nós na busca pelas melhores misturas! Mistura de pessoas, música, lugares, comidas, bebidas das mais diversas e para os mais  variados fins…  Cada drink é uma jornada que nos leva a um mundo cheio de imaginação, arte, lugares oportunos, pessoas interessantes e, claro, com doses altas de teor etílico. Sou um apreciador  de várias doses de diversão, fermentado por uns e destilado por outros.

Para a surpresa de alguns e alegria de outros, a cachaça deixou de ser uma bebida discriminada pela sociedade e alcançou um status comparável ao dos  melhores uísques e  vinhos do mundo. Hoje ela é vista como uma bebida nobre e tem lugar de destaque nos bares mais badalados. A bebida divide-se em duas grandes categorias de acordo com o processo de fabricação.

A primeira é a das cachaças brancas. Elas são transparentes e não passam pelo processo de envelhecimento em tonéis de madeira. A segunda, por sua vez, depois do processo de destilação, é armazenada em tonéis por algum tempo, para dar mais corpo e sabor, assim como acontece com os uísques, brandies e vinhos. As madeiras mais comuns utilizadas nos tonéis são carvalho, umburana e bálsamo, mas existem outras que podem ser usadas nesse processo. Entre as bebidas mundiais, a cachaça é a única que utiliza diversas madeiras em seus tonéis de envelhecimento.

Para homenagear essa bebida típica brasileira, vamos sugerir uma receita premiada em 2004 como o melhor drinque do mundo. Criado pelo mixologista John Gakuru, esse coquetel originalmente é feito com cachaça branca, mas o Drinkologia, em seus experimentos mixológicos,  meteu o bedelho e fez algumas adaptações para tornar o drinque ainda mais requintado, afinal de contas, qualquer brasileiro  entende mais de cachaça que muito gringo por aí.

Ingredientes:
– Suco da polpa de um maracujá
– 2 colheres de sobremesa de açúcar de baunilha (misturar a parte interna de 2 favas de baunilha em 500 g de açúcar, mexer bem e deixar descansar por 2 dias)
– 60 ml de cachaça envelhecida em tonéis de umburana
– 3 gotas de  molho de pimenta
– 1 pimenta dedo-de-moça
– Gelo

Modo de fazer:
Coloque na coqueteleira o suco da polpa do maracujá, o açúcar de baunilha, a dose de cachaça, as gotas de molho de pimenta e o gelo. Coe em um copo dry Martini, enfeite com a pimenta dedo-de-moça e voilá!

Vale lembrar que a cachaça envelhecida em umburana enriquece a combinação de sabores entre o maracujá, a pimenta e a baunilha.  Se quiser experimentar a receita original, é só trocar pela cachaça branca.

Marquito Santos é músico, compositor e produtor musical. Adora bebericar. Destilado por uns e fermentado por outros, tem como objetivo compartilhar suas incursões no universo etílico.

Revista Facebrasil – Edição 47 – 2015

Compartilhar
Artigo prévioO passado e o presente
Próximo artigoEvolução