Novos medicamentos são promessa no tratamento de câncer de mama em estágio avançado

0
280

Médicos que participam do simpósio sobre câncer de mama no Texas divulgaram nesta quarta-feira (11) os resultados dos testes com duas drogas experimentais, em mulheres com uma forma agressiva de câncer de mama que se espalhou amplamente e resistiu a muitos tratamentos anteriores.

Um dos medicamentos mostrou capacidade específica para atingir tumores no cérebro difíceis de tratar.

O outro é como um míssil guiado capaz de levar a quimioterapia diretamente para a célula cancerígena, disse Dr. Ian Krop, do Instituto de Câncer Dana-Farber, em Boston.

Os resultados foram divulgados no Simpósio de Câncer de Mama de San Antonio e no New England Journal of Medicine.

De 15% a 20% dos cânceres de mama são “positivos para HER2” – eles têm muita proteína chamada HER2 em suas superfícies celulares, impulsionada por um gene hiperativo que promove o crescimento do câncer.

Ian Krop liderou um estudo com 253 dessas mulheres para testar a droga antimísseis guiada, chamada T-DXd, administrada como infusão a cada três semanas. Essas mulheres haviam tentado, em média, seis tratamentos anteriores antes da droga experimental. Diferentes doses foram testadas e 184 mulheres obtiveram o que acabou sendo o melhor. Entre essas mulheres, 61% viram seus tumores encolher pelo menos 30%. Em 6% deles, nenhum sinal de câncer foi observado em pelo menos duas análises de acompanhamento.

Embora a droga experimental não tenha sido testada contra outras pessoas, a taxa de resposta é três a quatro vezes melhor do que normalmente é vista nessa situação. O tempo médio até o câncer piorar foi de 16 meses, e é emocionante ver algo que detém câncer tão sério por mais de um ano, disse Krop. (Com informações The New York Times)