Má alimentação: a inimiga fatal do seu cão

0
247

Pelo fato de no passado ser comum dar qualquer resto de comida dos pratos para o(s) cachorro(s) da casa, muitas pessoas ainda hoje acreditam que não há nada de errado nisso, e que é “frescura” comprar ração. Outras até compram, mas acham que todas são a mesma coisa e acabam optando pelas mais baratas. Porém, esses dois hábitos são responsáveis por várias doenças que encurtam consideravelmente a vida de seus cãezinhos.

Os restos de comida dados aos cães são muito gordurosos e vêm com condimentos que desencadearão uma série de doenças neles. Além disso, essa comida gordurosa fará com que o animal fique obeso, portanto, mais propenso a ter problemas cardíacos, de diabetes, etc.

Alguns donos afirmam que não dão restos de comida, mas acabam dando um hambúrguer, carnes temperadas, frituras, doces, chocolates, salgadinhos, que gerarão os mesmos problemas que os restos de comida causam, pois contêm conservantes e condimentos, açúcar, gorduras etc.

Outro erro grave é achar que, se o cão gostou de uma ração barata, não precisa pagar mais por uma de marca. Mas essas rações mais em conta são produzidas sem a quantidade de nutrientes e componentes necessária para o animal; além disso, elas são produzidas com ingredientes de péssima qualidade, e muitas ainda usam corante, uma combinação maligna para o seu cãozinho.

Doenças graves ocasionadas pela má alimentação dos cães

Alergias: dependendo do tipo de comida, alguns cães podem ter reações alérgicas que vão desde manchas e vermelhidões na pele, coceira intensa, até a problemas respiratórios.
Diarreia: ocasionalmente, uma diarreia pode ser considerada normal, mas, se ela persistir por mais de dois dias ou se, já no primeiro dia, vier acompanhada de vômitos, falta de apetite e abatimento, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário, pois será preciso descobrir o que ele ingeriu.
Gastrite: alimento vencidos, podres ou de baixa qualidade podem provocar gastrite no animal, e isso é um problema que, em casos extremos, ocasiona até a morte. Portanto, fique atento a tudo o que ele come.
Inflamação do esôfago: a causa principal desse tipo de inflamação, sem dúvida, é a ingestão de ossos. Apesar de eles adorarem e conseguirem digerir, nunca dê ossos! Os pedaços podem ficar entalados no esôfago ou tórax, ocasionando graves problemas e inclusive podendo levá-los à morte por sufocamento.
Inflamação intestinal: ocorre quando o cão ingere comida com muitos condimentos e conservantes ou ração de má qualidade. O intestino acaba ficando irritando, o que poderá ocasionar diarreia com sangue e um odor muito forte. Nesses casos, é necessário levar o animal imediatamente ao veterinário. A demora em buscar atendimento pode levar o animal à morte.
Obesidade: pode parecer engraçado ver um cão obeso, mas isso ocasionará redução da sua expectativa de vida, sem contar que ele passará por diversos problemas de saúde. Por isso, além de dar comida de qualidade, siga as recomendações de quantidade, que variarão dependendo do peso, raça, idade etc.
O que o cão deve comer?

Consulte um veterinário e veja a lista de marcas de ração que ele recomenda. No mercado, existem pelo menos seis excelentes. Além disso, ele pode sugerir alguns petiscos para completar a alimentação diária.