Legado – por Marco Alevato

0
676

27 anos depois veio a triste notícia: o encerramento das atividades do Jornal Brasileiras & Brasileiros, no dia 16 de janeiro de 2022. 

Com uma base jornalística sólida, o conteúdo de qualidade sempre foi o ponto forte do B&B, como era carinhosamente chamado pela comunidade brasileira nos Estados Unidos. Trata-se de um jornal histórico.

Como CEO do portal de notícias e da revista Facebrasil manifesto meu total apoio e solidariedade ao casal Eraldo e Maída Manes, pois reconheço o relevante serviço prestado por eles à sociedade imigrante. Fica difícil aceitar que a voz dos brasileiros no exterior perde força. É um duro golpe no direito da comunidade de ser informada. 

Como ex-presidente da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), posso garantir que a descontinuação do B&B entristece o jornalismo brasileiro nos Estados Unidos. Infelizmente, é mais uma empresa de comunicação que não suporta as mudanças do mercado e da mídia enquanto negócio. 

A transformação digital, os novos canais de comunicação e a disseminação das redes sociais impactaram o jeito de produzir, entregar, e monetizar a informação. Veículos de mídia são desafiados em tempo integral a reinventarem métodos produtivos para se manterem relevantes e com a influência necessária para garantir a sobrevivência.

O Jornal B&B parar de circular é mais do que o fim de um ciclo. É a suspensão de um serviço de qualidade editorial, ainda mais em tempos de polarização e da propagação de notícias falsas.

Quando vejo um importante representante da mídia comunitária fechar as portas, fico imaginando qual será o nosso futuro. 

Será que tudo será lido nas telas dos celulares? E o prazer de folhear as páginas dos jornais e das revistas? O cheirinho, o tato?

O Jornal B&B deixa uma lacuna na comunicação!