Jornada empreendedora USA – na revista Facebrasil 90

0
150

Jornada Empreendedora USA 

“Os caminhos e os segredos para se tornar um empreendedor de sucesso.” 

Quando o assunto é negócio nada mais importante que renovar ideias, ter oportunidades, conhecer novas tendências, discutir possibilidades e ampliar o networking. Para debater sobre o empreendedorismo nos Estados Unidos e a internacionalização de marcas, vai ser realizada em Orlando, na Flórida, a segunda edição da Jornada Empreendedora USA.

O evento promete aos participantes uma verdadeira imersão acerca do mundo dos negócios. Serão realizadas palestras com renomados profissionais, voltadas ao empreendedorismo nos Estados Unidos. Mais de 40 empresas vão apresentar seus produtos e serviços na feira e exposição de negócios. 

“A gente espera a participação de 1200 pessoas. Uma parte virá do Brasil, porque tem interesse em investir ou conhecer melhor o mercado americano. Quem já está nos Estados Unidos, busca ampliar o networking para poder se conectar com novas oportunidades e negócios”, argumenta Anderson Ramos, sócio e um dos idealizadores da Jornada Empreendedora USA.  

Palestrantes: Kevin Harrington – EUA / Camila Farani – Brasil / João Pacífico – Brasil / Frank Belzer – EUA / Alexandre Damiani – Brasil / Fred Alecrim – Brasil / Thiago Nigro – Brasil / Luis Paulo Luppa – Brasil / Conrado Adolpho – Brasil / Rick Chesther – Brasil / Geronimo Theml – Brasil

Jornada Empreendedora USA 03 a 05 de julho de 2019 – Loews Sapphire Fall at Universal Resort – 6601 Adventure Way, Orlando, FL, 32819  www.jornadausa.com / contato@jornadausa.com 

Brasileiros & Estados Unidos

O Ministério das Relações Exteriores estima que mais de 3 milhões de brasileiros moram no exterior.

1,4 milhão de brasileiros vivem nos Estados Unidos 

Um estudo realizado pelo Departamento de Estado Americano mostrou que o número de brasileiros que conseguiram Green Card em 2018 subiu 27,7 % na comparação com o ano anterior. Um dos grupos mais expressivos foi o de investidores no país norte-americano. Foram concedidos no ano passado, 388 vistos através do programa EB-5 – um aumento de 38% em relação a 2017. 

A procura pela Flórida 

A cada dia 900 pessoas, em média, mudam para a Flórida. O estado com aproximadamente 20,6 milhões de habitantes, caiu no “gosto” dos brasileiros, principalmente daqueles que querem investir nos Estados Unidos. 

400 mil brasileiros residem na Flórida, segundo o Consulado-Geral do Brasil em Miami. 

Conversamos com quem entende do mercado americano de finanças e negócios. Marcello M. Reis e Silva, vice-presidente Private Wealth Advisor no Regions Bank, o quarto mais antigo banco dos Estados Unidos, se baseia em números para explicar os motivos da Flórida, mais especificamente a região central do estado, estar na preferência dos empreendedores e investidores.

Marcello Reis e Silva conta que os brasileiros são os maiores investidores no mercado de real estate, e que 50% dos novos empreendimentos na Flórida Central têm a participação de brasileiros de forma direta ou indireta. “Faz 21 anos que moro nos Estados Unidos e os investimentos privados e governamentais nas cidades que compõem esta região, nunca foram tão expressivos.”, pontua o especialista em mercado financeiro.

O vice-presidente Private Wealth Advisor do Regions Bank explica que o perfil imigratório tem mudado nos últimos anos. É cada vez mais frequente o número de famílias de alta renda que buscam pela diversificação de seus investimentos. São brasileiros ávidos por outros tipos de ativos imobiliários e financeiros, com apetite bem mais sofisticado. “Apesar do dólar alto, a migração de ativos é crescente.”, afirma.

Na opinião de Marcello Reis e Silva o brasileiro deve investir de forma diversificada, uma vez que traz benefícios no longo prazo, minimiza o risco de um setor ou segmento em específico. Os ativos precisam ser diluídos através de um planejamento financeiro customizado e abrangente, visando a preservação e proteção. Marcello esclarece que com os riscos associados à mudança para os Estados Unidos, como por exemplo o impacto de se tornar um Global Tax Payer, o planejamento financeiro, tributário e patrimonial ganha relevância e se torna obrigatório.