Isolamento social 1 semana antes poderia ter salvado 36 mil pessoas nos EUA, calculam pesquisadores

0
133

Se os Estados Unidos tivessem começado a impor medidas de distanciamento social uma semana mais cedo poderia ter salvado a vida de 36 mil pessoas.

E se o país tivesse começado a trancar cidades e limitando o contato social em 1º de março, duas semanas antes de a maioria das pessoas começar a ficar em casa, a grande maioria das mortes do país – cerca de 83% – teria sido evitada. Nesse cenário, cerca de 54.000 pessoas a menos teriam morrido no início de maio.

A pesquisa da Universidade de Columbia foi divulgada nesta quinta-feira (21) pelo “The New York Times”.

“É uma grande, grande diferença”, disse Jeffrey Shaman, epidemiologista em Columbia e líder da equipe do estudo, ao jornal.”Esse pequeno espaço de tempo, abrangendo essa fase de crescimento, é incrivelmente crítico na redução do número de mortes”.

O estudo mostra que em 3 de maio haviam 65.307 mortes nos EUA devido ao Sars CoV-2. Se o isolamento social tivesse começado uma semana antes do previsto, seriam 29.410 vítimas. No caso da cidade de Nova York, epicentro da Covid-19, os números passariam de 17.581, na mesma data, para 2.838.

As descobertas são baseadas em modelos de doenças infecciosas que medem, como o contato reduzido entre pessoas a partir de meados de março, diminuiu a transmissão do vírus.

Os resultados mostram que, à medida que os estados reabrem, os surtos podem facilmente sair do controle, a menos que as autoridades monitorem de perto as infecções e imediatamente reprimam novas crises. E mostram que todos os dias as autoridades esperavam impor restrições no início de março a um alto custo. (Com informações e foto The New York Times)