Hotel em Miami é condenado a pagar US $ 21,5 milhões por desrespeitar direitos religiosos de ex-funcionária

0
116

O Hotel Conrad de Miami foi condenado a pagar US $ 21,5 milhões para uma ex-funcionária que atuava como “dishwasher”. O júri entendeu que o empregador  violou os direitos religiosos Marie Jean Pierre ao colocá-la para trabalhar frequentemente aos domingos e por fim demiti-la.

Segundo o advogado, Marie Jean Pierre, de 60 anos, é membro da Igreja dos Soldados de Cristo, um grupo missionário católico que ajuda os pobres. Ele disse que ela teria informado ao hotel que não podia trabalhar aos domingos por causa de suas crenças religiosas.

O júri também concedeu US $ 35 mil em salários atrasados e US $ 500 mil para dor emocional e angústia mental.

O Conrad Miami, antigo Hilton Worldwide, é acusado de violar o Código Civil – Civil Rights Act of 1964. A lei histórica proíbe a discriminação no emprego com base de raça, cor, religião, sexo ou nacionalidade.

Com informações NBC News