EUA iniciam vacinação de crianças menores de 5 anos contra Covid

0
81
A pequena Hazel Ribnik, de 10 meses, recebe vacina contra Covid em hospital de San Diego, na Califórnia, nesta terça-feira (21) — Foto: Mike Blake/Reuters

Os Estados Unidos começaram a aplicar vacinas de Covid-19 para crianças a partir de seis meses em todo o país nesta terça-feira (21). A disponibilidade das vacinas vai aumentar nos próximos dias, de acordo com o coordenador de resposta à Covid-19 da Casa Branca, Dr. Ashish Jha.

Os órgãos reguladores dos EUA autorizaram a vacina de duas doses da Moderna para crianças de 6 meses a 5 anos e o regime de três doses da Pfizer para crianças de seis meses a quatro anos.

Não está claro ainda se os pais vão aderir em massa à vacinação de seus filhos mais novos. Desde que a vacina Pfizer-BioNTech foi autorizada em outubro para idades de 5 a 11 anos, apenas cerca de 29% desse grupo foi totalmente vacinado, mostram dados federais.

Apenas um em cada cinco pais com filhos menores de cinco anos disseram que pretendiam vaciná-los “imediatamente” assim que se tornassem elegíveis, mostrou uma pesquisa da Kaiser Family Foundation publicada em maio.

Chinmay Hegde, pai de uma filha de 14 meses, disse à Reuters do lado de fora do Hospital Nacional Infantil em Washington que a autorização dos EUA foi um grande alívio. A filha dele foi a primeira a ser vacinada no hospital nesta terça-feira.

“Sinto que agora podemos fazer nossas viagens sem sentir tanto estresse”, disse ele, mencionando uma reunião de família planejada no Canadá em julho.

As autoridades de saúde pública têm pressionado para que as crianças sejam vacinadas para ajudar a prevenir hospitalizações e mortes se os casos aumentarem novamente quando as crianças voltarem à escola ou pré-escola em agosto e setembro.

As crianças que iniciarem a vacinação com a vacina da Pfizer nesta semana poderão receber a terceira dose na semana de 12 de setembro ou mais tarde. Aqueles que receberem uma primeira injeção de Moderna esta semana devem completar sua inoculação em 19 de julho.

O cirurgião geral dos EUA, Dr. Vivek Murthy, autoridade máxima de saúdeo do país, disse no canal CNN na terça-feira, que aconselha os pais a levarem o vírus a sério, e destacou que quase 500 crianças morreram e mais de 30 mil crianças menores de 5 anos foram hospitalizadas desde o início da pandemia.

“É difícil prever quais crianças têm problemas. Cerca de metade dessas crianças que tiveram problemas com COVID não apresentaram sintomas subjacentes”, disse Murthy. “Então é por isso que toda criança merece proteção. Queremos que os pais considerem fortemente esta vacina.”

Jha disse no Twitter na segunda-feira que a distribuição para crianças mais novas difere daquela para outras faixas etárias, pois não há locais de vacinação em massa, mas haveria mais inoculações feitas em consultórios médicos.

“Os pais têm certeza de que querem vacinar seus pequeninos em ambientes familiares – consultórios médicos, farmácias, clínicas de saúde e hospitais infantis”, ele afirmou.

As vacinas começaram a ser enviadas para todo o país na sexta e no sábado, disse Jha, acrescentando que mais consultórios médicos e hospitais começariam a recebê-las na terça e quarta-feira desta semana. (com informações Reuters)