Comunidade brasileira em Orlando perde personalidade de referência

0
158

Ronald Saleh Ambar, o carismático Ronnie Ambar, vai deixar saudades! Ele morreu no dia 1° de dezembro, em Orlando, depois de ficar hospitalizado por 99 dias em decorrência de complicações em uma cirurgia cardíaca. 

Os seus 66 anos de vida começaram em Alexandria, no Egito. Com apenas 11 meses de vida, teve que deixar o país de nascimento como um refugiado judeu, ao lado dos pais Albert e Ines Ambar e do irmão mais velho Joseph. A família passou a viver no Rio de Janeiro. Ainda na adolescência, foi morar com a mãe em Israel após a morte do pai, mas o carinho pelo Brasil falou mais alto e eles voltaram a viver na cidade maravilhosa, onde Ronnie conheceu Jessica com quem teve dois filhos, Raphael e Deborah. 

Em 1990, já com carreira consolidada no setor aéreo, Ronnie Ambar mudou-se para Orlando e abriu uma operadora de turismo. Em 2011 resolveu mudar de ares atuando em vários outros segmentos profissionais. Nos últimos anos foi consultor do governador do estado do Rio de Janeiro, Cláudio Castro.

Era um homem do mundo. Falava vários idiomas: árabe, hebraico, espanhol, francês, inglês e português. Se ele não estava viajando para diferentes países em busca de seus próprios projetos, estava conectando pessoas em busca dos seus. 

O poliglota Ronnie conquistou fortes laços de amizade. Jessica Ambar, ex-esposa e grande companheira de vida, conta com carinho, que Ronnie tinha uma alma gentil e sua maior alegria era ajudar as pessoas.  

Ronnie Ambar sempre foi uma personalidade de referência para a comunidade brasileira que vive em Orlando, enchendo de boa disposição a vida das pessoas que o rodeavam.

 

Amigos se despedem e recordam os bons momentos que passaram com Ronnie Ambar 

por Marco Alevato

Despedida de um Guerreiro Ronald Ambar

A Flórida e todo mundo se despediu de uma pessoa sensacional que fez parte de toda minha história em Orlando até o dia de seu falecimento, que ocorreu no dia 01/12/22. Mas como em um filme meu entendimento esperou até o último minuto para ver se era verdade. Em seu serviço encontrei com grandes figuras de nosso passado em Orlando e nosso passado Orlando, muitas ausências para mim imperdoáveis, mas fui educado para valorizar os presentes e anotar os ausentes. 

O tricolor de coração que, devido a um momento especial para mim, honrou o manto sagrado do Flamengo que com a repercussão me fez deletar o post das mídias sociais.

Quem foi esse lutador por nossa comunidade, chegou aqui nos anos 80, participou da fundação da Associação Brasileira da Flórida Central, incorporou a Câmara de Comércio, apresentou a nossa comunidade para autoridades americanas, valorizou o que tínhamos de melhor, fluente em 5 línguas, participante de diversas formas de encontrar com DEUS. 

Pessoa que ligava para seus amigos diariamente sempre com um assunto interessante e milionário, que modificaria as vidas dos envolvidos, profundo entendedor das nuances do mercado do turismo em nossa cidade. 

Representava o Estado do Rio de Janeiro, sua grande paixão pela linda Copacabana. Conhecia todo mundo pelo nome: prefeitos, deputados, governadores, senadores, presidentes de outras câmaras e muito mais. 

Partiu de uma forma inesperada que deixou todo mundo sem chão. Um homem que vai entrar para a memória. Se fossemos um pouco melhores, faríamos uma grande homenagem à sua memória.

A Facebrasil nessa pequena referência busca de uma forma ou de outra fazer isso. 

por Paulo Corrêa

texto postado nas redes sociais

O voar do amigo Ambar!

Acordei nesta madrugada triste, lembrando do sonho que asas cresciam em você, deixando o meu peito apertado por saber que asas é para voar, levando o seu jeito agitado, sempre a mil por hora, para uma nova e eterna viagem! 

Ronnie, como um dos pioneiros, você vai levando parte da história da nossa comunidade. Foi amigo e incentivador de muitos sonhos, empresário, ex-presidente da Câmara de Comércio (CFBACC), entre outras marcas da sua passagem por nosso Brasil com Z. 

A verdade é que agora voa como passarinho ainda jovem, foge do seu ninho batendo as asas e voando na sua fértil imaginação, peculiar do Ronald Âmbar.

No nosso último encontro de horas no hospital, foi como uma despedida… sua ex esposa, a guerreira Jessica, o cuida saiu para resolver problemas. Eu e ele, com muito carinho na minha chegada, agradece a presença, me pede o copo de água que não conseguia segurar e depois de alguns goles vira o rosto em minha direção e diz: “Cheguei aqui sentindo um mal-estar, fiz alguns exames e depois de duas operações no coração, estou nesta triste situação. Meu amigo, sei que muitas vezes errei na vida, muito mais comigo próprio, mas, você é um que preciso pedir desculpas”. Ele, lembrando de um assunto de décadas… retruquei em forma de piada, este assunto ficou no passado e foi resolvido no jogo do Fluminense do Rio, seu time do coração, lembra?  Você me pediu, eu aceitei as desculpas, e ainda me disse que gostava da minha amizade, mas gostava mais do Fluminense…. ele riu confirmando com o rosto um sim, e rimos bastante…. 

Outro momento da nossa boa e longa conversa veio sobre o nome âmbar que vem de origem árabe. Afirmei que o amigo era como a pedra âmbar de cor amarelo-dourada, relacionada diretamente com o poder do Sol e por ele, transmite alegria, energia e vitalidade, característica do Ronnie Âmbar. Continuei afirmando que a pedra era considerada provedora de felicidade e exercia um incrível poder de atrair dinheiro (riu como todo bom Judeu), além de estar relacionado à criatividade e à solidariedade, e que eram suas características.

E por fim, agradeceu os elogios e como um Âmbar, mostrando conhecimento sobre o assunto, me disse: “no momento tenho que ser como uma pedra âmbar que manifesta muitos benefícios para a saúde mental como equilíbrio das emoções, ajuda a remover o medo e a negatividade, desenvolve a paciência e abraça a sabedoria. Só Deus sabe o meu verdadeiro destino“. 

Assim hoje, primeiro de dezembro, às 13:13hs de Orlando, sinto com tristeza, o voar do amigo Ronnie Âmbar!

 

por Raquel Batalha

texto postado nas redes sociais

Ah Ronito, nem acredito que você partiu…

Assim como não acreditei quando você entrou no hospital pra fazer um cateterismo e ficou pra fazer uma cirurgia de coração de peito aberto…

Assim como não quis acreditar que na cirurgia você teve complicações e parada cardíaca, seguida depois de altos e baixos e entubação e transfusão de sangue e hemodiálise e tanta coisa que só Deus e Jessica que estava ali o tempo todo que sabem o que você passou.

Acredito que todas que foram te visitar ficaram chocados no primeiro momento ao te ver imobilizado em uma cama e ligado a tantos aparelhos… a cena não combinava com o nosso Ronito alegre e gozador, sempre elétrico.

No hospital eu gostava de fazer massagem nos seus pés e coçar sua carequinha com uma toalha húmida, quentinha… e Batalha fingindo ciúmes kkk e vc pedindo, coça atrás da orelha 😍

Ontem a notícia nos pegou de surpresa e ficamos chocados…

Hoje a tristeza em constatar que não teremos mais nosso amigo para comer sushi, bater papo e planejar sobre vendas e energia sustentável…

Ficam as lembranças de quantos aniversários, Ano Novo ou Natal passamos juntos…

Mas em uma coisa eu acredito plenamente, que a promessa do mesmo Poder que um dia ressuscitou ao Senhor Jesus, um dia irá nos ressuscitar também e o nosso corpo mortal se revestirá da imortalidade e viveremos para sempre com Ele!

E Ele enxugará dos nossos olhos toda a lágrima!

Dorme em paz querido, até o nosso mestre te chamar para Reinar em Glória!

Assim eu creio.