Como os pais devem agir quando as crianças brigam

0
567

Brigas entre crianças

por Ana Paula Lima

Neste mês, uma cena ocorrida em um condomínio de classe média alta em Brasília, ganhou notoriedade no Brasil e o mundo. Uma das câmeras de segurança do local, mostravam crianças jogando bola na quadra, de repente, um menino escorrega e bate o rosto no chão, cortando a boca. Minutos depois, os pais do menino ferido aparecem e decidem se “vingar” de uma criança que estava perto na hora do tombo. O pai, dotado de imensa covardia, segura um menino de seis anos pelo braço e pede que seu filho lhe dê um soco no rosto, o filho obedece. Depois, a mãe ainda empurra e joga a criança no chão.

Mesmo que o menino vítima dos covardes adultos tivesse machucado o filho deles, certamente, essa não seria nem de longe a atitude ideal a ser tomada. Independentemente do filho ter apanhado ou batido, é preciso ter uma postura correta, nem permissiva ou ainda mais agressiva.

Brigas sem agressões físicas

É normal que haja discussões e xingamentos entre crianças, seja por causa de um brinquedo ou um jogo, mas quando isso parte para o bullying é hora de agir. Se o seu filho estiver entre os que realizam tal prática, é de fundamental importância ter não só uma, mas várias conversas, para conscientizá-lo de que aquilo não é correto e é inaceitável.  

Por outro lado, se o seu filho é que está sendo vítima do bullying, é preciso tomar medidas concretas. Não adianta ignorar, mandar xingar de volta ou pior ir brigar com as outras crianças. Se a prática está ocorrendo na escola, exija de direção, atitudes imediatas. Se ocorrer em outro local de convívio das crianças, procure, educadamente os pais de quem está agindo mal e explique o problema, na maioria dos casos, tudo poderá ser revolvido após a conversa, mas caso os mesmos sejam deselegantes ou ineficientes, é possível tomar medidas inclusive judiciais.

Brigas com agressões físicas

Caso o seu filho tenha agredido outra criança, não revide com agressão física. Procure saber o que de fato ocorreu e independente do motivo, dialogue, deixando claro que aquilo foi um erro e haverá consequências, como ficar por algum tempo de castigo e sem poder fazer o que gosta. Comunique aos pais da criança agredida as medidas que tomará e peça desculpas. Jamais incentive ou se sinta orgulhoso caso seu filho tenha vencido um briga, isso o incentivará a se envolver em outras e mais cedo do que você pensa, será ele quem voltará machucado para casa

Se o seu filho foi agredido, não hesite em procurar os pais ou a escola para exigir providências.  Caso tenha sido algo grave, é importante recorrer às autoridades, tanto para que pais quanto para que o agressor saiba que aquilo terá sérias consequências. Se foi algo menos grave, uma conversa respeitosa, mas cobrando mudanças, poderá resolver.

O que os pais jamais podem fazer, é decidir “se vingar’ como fizeram os pais de Brasília, mesmo que seus filhos de fato tenham apanhado, pois além de problemas na Justiça, estarão demonstrando aos próprios filhos que são covardes e incapazes de resolverem problemas se apelarem para à selvageria. Isso será frustrante e perturbador para eles.