Cinema Drive-in – na revista Facebrasil 101

0
126

Cinema drive-in – “De volta ao passado na cultura do isolamento social.”

por Doris Nogueira

Com as salas de cinema, teatros e casas de shows fechadas para ajudar a conter o avanço do novo coronavírus, os cinemas drive-in, em que os espectadores assistem ao filme de dentro de seus carros, voltaram a ganhar popularidade.

Os drive-ins versão século 21 estão de volta em diversas cidades do mundo. 

Os cinemas ao ar livre reapareceram em estacionamentos adaptados, com telas de alta resolução e com o som captado no rádio do carro por uma frequência exclusiva. Os ingressos são comprados com antecedência pela internet para evitar aglomerações e o número de vagas é reduzido para manter o distanciamento entre os carros. 

Se quiser pedir pipoca ou guloseimas, é só ligar o pisca alerta do carro e lá vem a garçonete de máscara com um cardápio plastificado e QR Code. O pagamento também é feito com a tecnologia de aproximação. Durante a sessão, as pessoas não podem ficar circulando. Se precisar ir ao banheiro tem de usar máscara de proteção.

Comum nos Estados Unidos nos anos 50 e 60, esse estilo de ver filme foi um marco na história americana como mostram diversos filmes. Nesse período, o país contou com mais de quatro mil espaços funcionando como drive-in. O primeiro local da experiência tinha 400 vagas. Devido ao grande sucesso, os espaços foram sendo ampliados e em pleno auge, um dos maiores que existiu em Nova York, chegou a abrigar 2.500 veículos. 

Enquanto o futuro do cinema segue incerto, a alternativa que reforça o distanciamento entre pessoas pode estar na volta ao passado.