Atirador do Texas tinha problemas com a família e ameaçava a sogra

0
245

Por Fernando Andrade

O atirador que matou 26 pessoas em uma igreja de Sutherland Springs, no Texas, vinha enviando mensagens ameaçadoras à sogra, que frequentava o local. Ela não estava na Primeira Igreja Batista de Sutherland Springs, quando o genro, Devin Patrick Kelley, entrou atirando. Apesar disso, Kelley acabou matando Lula White, a avó de sua esposa.

Segundo as autoridades, algumas das ameaças do assassino foram enviadas à sogra pouco antes do massacre ocorrer. Esse é o maior atentado por armas de fogo da história do Texas.

Segundo Freeman Martin, do Departamento de Segurança Pública do Texas, a vítima mais jovem foi uma criança de apenas 18 meses, enquanto a mais velha tinha 77.

Freeman afirmou ainda que Devin Patrick Kelley já havia se comportado de maneira suspeita antes da chacina, quando estava em um posto de gasolina. Testemunhas afirmam que ele se vestia todo de preto e que portava uma máscara negra, com o rosto de uma caveira pintada. Não há informação, entretanto, se ele já vestia a máscara quando estava no posto.

Vestindo uma espécie de armadura, foi baleado por um vizinho da igreja, que mirou na lateral do corpo de Kelley, que parecia ser uma das poucas áreas desprotegidas. Enquanto fugia, ele telefonou para o pai e disse que achava que não resistiria, se matando logo em seguida.

De acordo com as autoridades, das 20 pessoas feriadas, dez ainda estão em estado grave.

Falando da Ásia, onde está se encontrando com líderes de diversos países da região, o Presidente Donald Trump expressou suas condolências às famílias das vítimas e declarou que o ataque foi causado por um “problema de saúde mental” e que não há problemas com a lei que permite que os cidadãos comprem armas.

Devin Patrick Kelley tinha 26 anos e serviu na Força Aérea dos Estados Unidos até 2010, quando foi desligado da corporação. Em 2012, ele foi condenado pela Corte-Marcial, que julga ações cometidas por militares, por agredir a esposa e o filho do casal, ficando detido por um ano.

Segundo a polícia, em abril de 2016, Kelley comprou o rifle usado na chacina, do modelo Ruger AR-556, em uma loja na cidade texana de San Antonio, após passar pela análise de antecedentes, necessária para a compra de armas de fogo.