0
168

Simplesmente o amor!

Que sentimento este, que faz os amantes perderem o sono, a fome.                            Muitos sobem às nuvens e sentem a vida virar de ponta-cabeça.                                    O amor incondicional entre pais e filhos… a devoção a uma amizade verdadeira.                  Será que é possível explicar um fenômeno tão importante como o amor?

A ciência do amor

Estudiosos começam a descobrir que existe, sim, lógica no amor. Mas e a fórmula, será que existe?

Uma análise estatística feita na Universidade Harvard indicou que, ao se relacionar com 100 pessoas durante a vida, as chances de encontrar o par ideal é mais concreta na 38ª relação.

Um estudo da Universidade de Wisconsin mostrou que os homens são mais felizes ao conviverem com mulheres inteligentes. Entre os casais analisados, os que eram intelectualmente equilibrados apresentaram maior propensão a ficar juntos.

Um estudo da Universidade de Michigan comprovou que as mulheres, quando entram em um caso passageiro, costumam preferir homens de traços masculinos e bem marcados. Mas, para uma relação séria, elas optam pelos que têm traços mais delicados.

As pesquisas mostram que homens e mulheres preferem o odor de pessoas cujo sistema imunológico seja complementar ao deles, para que possam ser gerados descendentes geneticamente mais variados, com maior capacidade de resistir a doenças.

Na Universidade da Califórnia, um estudo revelou que na Índia, onde 95% dos casamentos são arranjados, os casais têm níveis mais altos de satisfação e amor do que no Ocidente. É que o amor, apesar de nascer pequeno, cresce com o tempo.