0
142

A incansável luta das mulheres

A luta da mulher pela igualdade de direitos está longe de ser vencida. Por mais que várias conquistas tenham sido obtidas nas últimas décadas, o fantasma do machismo segue rondando e, atualmente, tem sido incentivado até por formadores de opinião.

Um dos grandes absurdos que ainda são propagados por pessoas tanto do sexo masculino como do feminino é que a mulher sempre é culpada do que possa lhe acontecer devido à roupa que usa. É preciso deixar claro que nenhuma roupa pode definir o que alguém é ou não; o máximo que se pode afirmar, ainda que subjetivamente, é se a vestimenta é ou não apropriada e de bom gosto, mas jamais que uma mulher mereça ser rotulada ou até violentada por causa disso.

A mulher ser agredida por um companheiro e muitos acharem que isso não é da conta de terceiros também é outro absurdo que demonstra o quanto precisamos evoluir. Existe até o ditado “Em briga de marido e mulher ninguém mete a colher”. Se houver agressão ou ameaça de agressão, é preciso interferir, sim. Muitas mulheres que foram assassinadas por seus parceiros ou ex estariam vivas se um vizinho, parente ou estranho tivesse ligado para a polícia e explicado o que estava ocorrendo.

No trabalho, apesar de muitos avanços, a mulher, na maioria dos casos, ganha menos que o homem, mesmo exercendo a mesma função; e em muitos locais, quando a disputa por uma vaga importante é entre alguém do sexo masculino e feminino, quase sempre o primeiro leva vantagem, não porque era mais preparado, mas porque muitas empresas acreditam que mulher, por engravidar ou já ter filhos, irá se ausentar mais do trabalho.

Até a luta por direitos iguais faz com que as mulheres sejam atacadas. As ativistas geralmente são chamadas de “feminazis”, e em tempos de internet, esses ataques acabam contaminando os menos informados. Parece absurdo que, em pleno século 21, ainda tenhamos que mostrar que mulher merece ser tratada com respeito e com igualdade de condições. Uma luta, apesar de dura, contínua.