0
19

Estresse canino

Assim como os humanos, os cães também passam por momentos de estresse, e os sintomas são bem semelhantes. Por isso, é muito importante entender as razões que levam o animal a desenvolver o estresse e assim poder ajudá-lo. Fique atento aos sinais de que algo não está bem.

Diminuição no apetite

Quando o animal deixa de comer, já é um alerta. É preciso verificar se a perda de apetite é por causa de um incômodo passageiro ou algo mais sério. É muito importante procurar um veterinário para saber o que está acontecendo. Após a realização de exames clínicos, e se nada for detectado, pode ser que a causa seja estresse.

Agressividade

Se o animal é dócil com todos da casa, mas de repente passa a ser agressivo, isso é demonstração de que ele está inseguro e com medo. Se o veterinário não detectar nenhuma doença ou dor, pode ser estresse. Então, é preciso descobrir o que está deixando o animal nervoso.

Rigidez muscular

Principalmente nas situações que causam estresse, o cão fica mais tenso. É importante observar se o animal fica com a cauda e as extremidades rígidas, como se estivesse esperando algo significativo acontecer.

Fuga ou reatividade

Um cão estressado costuma sentir incômodo quando vai passar por uma situação desconhecida  – pode fugir quando encontra outro cachorro – ou, ainda, agir de forma negativa no contato com pessoas, ambientes, objetos e situações diferentes.

Lamber as patas compulsivamente

Sem dúvida, um dos sinais mais claros que o cão dá quando está estressado é lamber as patas constantemente – alguns chegam a mordê-las levemente. Essas atitudes podem criar feridas e infeccionar, devido às bactérias, por isso, é preciso ficar atento e entender o que está deixando o animal assim.

Isolamento

Quase todo cão gosta de ficar isolado em alguns momentos do dia, mas, quando isso passa a ser frequente – escondendo-se embaixo de móveis, não querendo sair da casinha –, pode ser sinal de ansiedade e estresse.

Problemas gastrointestinais

Diarreias e vômitos podem ser sinais de várias doenças, mas também podem ter como causa o estresse. Descartado um problema de saúde no veterinário, é preciso averiguar o problema.

Alterações no sono

O cão estressado costuma ter muito ou pouco sono. Se ele está dormindo muito mais que o habitual, pode estar sofrendo de letargia. Se estiver inquieto o tempo todo, andando sem parar, e não conseguir relaxar por muito tempo, também é sinal de que pode estar estressado. Cães que ficam frequentemente presos ou têm pouco espaço para circular costumam apresentar essas alterações de sono.

Latir ou chorar constantemente

Quando o cão começa a latir muito e sem motivo, ou se ele passa a dar o famoso “chorinho” constante, pode ser sinal de estresse.

Hiperatividade
Geralmente os cães estressados têm comportamento hiperativo. Eles quase nunca conseguem ficar tranquilos e, em longo prazo, podem começar a morder móveis e qualquer utensílio que encontrarem à frente, para liberar a tensão acumulada.

Falta de atenção

Praticamente quase todo cachorro estressado apresenta nervosismo generalizado e dificuldade de concentração. É necessário levar o animal até um veterinário para saber se ele não está com déficit de atenção por causa do estresse.

Perda de pelo

Quando os cães estão com estresse crônico, costumam perder pelos. É preciso buscar ajuda de um profissional especializado, pois esse sintoma é sinal de emergência para o problema.

Como agir para evitar o estresse canino

Procure passear e brincar mais com o cachorro, pois ele tem muita energia que precisa ser gasta. Crie uma “zona de segurança” para ele ficar quando estiver tenso, um local em que se sinta seguro. Escolha uma ração de qualidade, pois uma boa alimentação é fundamental para o equilíbrio da saúde do animal. E fique sempre atento a qualquer sinal de alerta.